Colocação da Telha Santa Catarina

Figura 1 inicio do telhado
Figura 1 inicio do telhado
Figura 2 Capas e canais
Figura 2 Capas e canais
Figura 3 Sentido do cume
Figura 3 Sentido do cume
Figura 4 Beirado à portuguesa com cimalha
Figura 4 Beirado à portuguesa com cimalha
Figura 5 orifícios de ventilação canto
Figura 5 orifícios de ventilação canto
Figura 6 orifícios de ventilação frente
Figura 6 orifícios de ventilação frente
Figura 7 Caleira
Figura 7 Caleira

A telha de canudo Santa Catarina não é uma telha de encaixe, trata-se de uma telha muito simples, que obriga a especial atenção no momento da sua aplicação. Actualmente a telha de canudo na maioria dos casos é aplicada directamente sobre uma sub-telha ou sobre uma superfície devidamente isolada. Desta forma a cobertura fica totalmente protegida da chuva e humidades.

No entanto, a aplicação da telha deve respeitar alguns aspectos:
A aplicação inicia-se pelas telhas inferiores (canais); segundo a forma do telhado pode ser mais conveniente colocar a fila do meio em vez da fila da extremidade direita, conforme se pode ver na figura 1.

A colocação das capas (telhas superiores) é efectuada segundo o esquema apresentado na figura 2: A aplicação das telhas é feita da direita para a esquerda e de baixo para cima. Este é o modo mais adequado de proceder, permitindo ligeiros ajustes e ao mesmo tempo perceber como se irá desenvolver a cobertura. A aplicação da telha desta forma facilita o alinhamento das várias fiadas, de acordo com o modo como se desenvolve o telhado.

De referir que na execução de telhados com inclinação superior a 30% e/ou com exposição a ventos fortes, as telhas devem ser fixadas à base numa proporção de 1 telha em cada 4. Se a inclinação apresentar valores superiores a 40%, então, todas as telhas devem ser fixadas.
A fixação pode ser feita com grampos, parafusos auto-roscantes, cola ou cimento, consoante o tipo de suporte. No entanto recomendamos a fixação com uma argamassa fraca, preparada da seguinte forma: por cada m3 de areia seca usar:

  • 250 – 350 Kg de cal hidráulica ou
  • 150 Kg de cimento e 175 – 225 Kg de cal hidráulica

Nota: a fixação com parafuso ou prego necessita que a telha tenha um pré-furo, que normalmente a telha Santa Catarina não tem.

Cume do telhado

É a telha que faz o encerramento da cobertura, aplicada na união de duas vertentes e fixada com recurso a argamassa, conforme a figura 3.

Beirado

As telhas do beirado (capas e bicas) são aplicadas sobre a cimalha ou parede, com recurso a argamassa. É importante respeitar o seguinte:

  • Inclinação que as peças devem ter em relação ao plano horizontal da cobertura, mínimo 4% – Figura 4.
  • Dimensão livre das peças, ou seja, dimensão que não deve estar apoiada na cimalha/parede, máximo 2/3 do comprimento do beirado.
  • Execução de orifícios de ventilação que permitem a ventilação do beirado, como mostram as figuras seguintes – Figura 5 e 6.

Caleira

Trata-se da convergência de duas vertentes, tornando-se por isso uma zona comprometida da cobertura, quando incorrectamente executada. A execução de uma caleira obriga ao uso de rufos metálicos, bandas asfálticas ou outros materiais sintéticos, que são apoiados sobre o perfil, normalmente executado em argamassa.

Tratando-se de zonas sensíveis de uma cobertura, deverá ser dada especial importância aos seguintes 3 princípios:

  • 1º Corte das telhas, de forma a cobrir a caleira em pelo menos 8 cm, conforme a figura 7.
  • 2º Material aplicado para a execução da caleira: o material a utilizar na caleira deve garantir uma longa durabilidade. Em geral utilizam-se materiais metálicos ou sintéticos, autoaderentes ou não.
  • 3º Forma de aplicação do material: dado tratar-se de uma zona crítica deve ter-se uma atenção redobrada na aplicação do material, sob pena de não se cumprir um escoamento eficaz das águas nesta zona.
Figura 1 inicio do telhado
Figura 1 inicio do telhado
Figura 2 Capas e canais
Figura 2 Capas e canais
Figura 3 Sentido do cume
Figura 3 Sentido do cume
Figura 4 Beirado à portuguesa com cimalha
Figura 4 Beirado à portuguesa com cimalha
Figura 5 orifícios de ventilação canto
Figura 5 orifícios de ventilação canto
Figura 6 orifícios de ventilação frente
Figura 6 orifícios de ventilação frente
Figura 7 Caleira
Figura 7 Caleira